08/09/2019 21:34:12

PASSO 1 – Venda sua empresa para seus funcionários

Venda sua empresa para seus funcionários! Isso mesmo, venda sua empresa para seu funcionário, mas não simplesmente coloque nas mãos deles para que atuem: venda a causa, faça-os comprá-la, motive-os a buscar os mesmos objetivos que você e sua empresa têm!

Isso é extremamente importante. Se o seu funcionário não comprar sua causa ou não se engajar com a sua empresa, ele vai dar o mínimo possível de si somente para evitar perder o emprego.

Um funcionário desmotivado, desengajado e desinteressado pode trazer incontáveis prejuízos. Desde simplesmente não atender seu cliente da melhor forma e não trabalhar de maneira correta até desmotivar outros colegas de trabalho.

Engajamento gera mais do que a conquista uma equipe produtiva: aumenta o faturamento ao evitar gastos desnecessários.

Além de reduzir desperdício, iremos buscar o aumento da produtividade, o que resulta em reais lucros.

 

PASSO 2 – SE EMPENHE POR ELES

Funcionários engajados trabalham mais sem reclamar, se esforçam dando seu melhor e contribuem para a causa da empresa. Eles sabem o que o dono e a empresa esperam dele, promovem as boas práticas com entusiasmo e contaminam com boas atitudes aqueles que, por ventura, estejam desmotivados. Seu comprometimento é visível e sua lealdade provada em muitos casos.

Os resultados dessa motivação são muitos e resultam numa lucratividade maior. A empresa pode ter mais resultados com uma equipe mais enxuta.

Então, como? Para responder a essa pergunta, vamos primeiro entender a diferença de engajamento e a mera satisfação de ter um bom emprego.

 

RESULTADOS REAIS

Funcionários engajados com a empresa produzem mais, resultam num ambiente mais agradável e multiplicam essa cultura, fazendo o sistema integrado da empresa ter sentido e resultando em maiores lucros.

 

 

 

 

 

PASSO 3 – NÃO ADIANTA SUBIR SALÁRIOS

Um emprego dá ao funcionário o que ele precisa. Ele precisa, basicamente, de sustento e um meio para adquirir as coisas que ele quer e, por isso, ele está satisfeito. Ele vai, facilmente, aceitar outra proposta de emprego se ela oferecer mais satisfação do que ele encontra atualmente na sua empresa. E, sinceramente, não o podemos julgar por isso, por mais que aos nossos olhos pareça errado.

Um funcionário engajado não só recebe o que espera do emprego, mas também por sensações neurológicas desenvolve um vínculo de reciprocidade, um desejo interior de devolver com gratidão o quanto ele acha incrível trabalhar na sua empresa.

Não engajamos o funcionário por pagar um salário alto, pois um funcionário engajado ama entregar mais de si à empresa e, na maioria das vezes, se recusa a aceitar propostas de trabalho que pagam mais por causa desse vínculo.

Obviamente, só é possível existir engajamento se houver satisfação. Mas, apenas satisfação não é suficiente para o engajamento. As grandes companhias mundiais aplicam técnicas que podemos replicar na nossa empresa e, assim, ter os mesmos resultados. Vamos ver as principais.

 

PASSO 4 – PROPORCIONE O CRESCIMENTO PESSOAL E DÊ OPORTUNIDADES

Planeje de forma estratégica e periódica uma conversa com seu funcionário sobre o plano de carreira existente na sua empresa (se não houver, já é hora de criar um!).

Conheça o potencial do seu funcionário. (Veja mais à frente como conhecer o perfil comportamental do funcionário).

Saiba os cursos que ele planeja fazer e os planos que ele tem para o futuro. Existem novos projetos no qual ele possa trabalhar e desenvolver suas competências?

Converse sobre as oportunidades, dê treinamento que o ajude a progredir dentro da empresa e forneça feedbacks claros (da forma correta) sobre como ele pode melhorar seu desempenho. Dê a ele uma real oportunidade de crescer na empresa.

Pessoas felizes e realizadas no seu ambiente de trabalho vão entregar o seu melhor sempre e defenderão a empresa como um bem pessoal, aumentando as receitas e reduzindo gastos.

PASSO 5 – CRIE UM SISTEMA GERENCIAL E UM SUB SISTEMA FOCADO EM ENGAJAR A EQUIPE

 

Pode parecer que estamos falando de segredos semelhantes, mas na verdade, eles realmente interagem formando um grande sistema de gestão, motivação e lucratividade.

Então, como fazer um funcionário “vestir a camisa da empresa” se não somos um time? Se não jogamos nada e não estamos claramente disputando algo?

Insira uma disputa real na sua empresa!

Estruturas de jogos ou campeonatos geram no ser humano, que é competitivo por natureza, a necessidade e a avidez de se empenhar. Muitas vezes, o resultado é algo sem valor prático, é a simples sensação de vitória.

Estudos provam que a satisfação de se chegar em algum lugar estabelecido ou conquistar algo que está disputando ou simplesmente torcendo por, gera a sensação de prazer ligada à dopamina, um hormônio cerebral que vicia a pessoa em conseguir de novo e de novo. Esse tipo de estratégia empresarial também é conhecido como SISTEMA DE GAMEFICAÇÃO, um segredo muito bem explorado pelas grandes companhias e franquias.

Funcionários se engajam quando acreditam que o trabalho que desenvolvem é importante para a empresa e que ele é uma peça importante para a vitória dela. Como gestor, é importante demonstrar a importância deles dentro desse jogo interno, deixar relação direta entre suas atividades e o sucesso da empresa.

Baixos níveis de dopamina fazem com que pessoas e outros animais sejam menos propensos a trabalhar para um propósito“, afirmou John Salamone, professor de Psicologia na Universidade de Connecticut (EUA), em estudo sobre efeitos da dopamina no cérebro, publicado em 2012 na revista Neuron. Por isso, a dopamina “tem mais a ver com motivação e relação custo-benefício do que com o próprio prazer.” (Fonte: G1.com)

PASSO 6 – DEFINA JOGOS, METAS E DESAFIOS

Metas e desafios não devem ser apenas para assegurar os resultados da empresa. Os funcionários precisam de um propósito, um objetivo a ser atingido e estar ciente da sua importância na estratégia de vitória da empresa. Fico empolgado só de pensar na transformação de pessoas monótonas e pacatas nos seus trabalhos se animando, se engajando com suas tarefas, trazendo grandes ideias para que seu negócio evolua.

Não se surpreenda, pois eles terão realmente excelentes ideias e você poderá utilizá-las.

Conceda autonomia para todos se destacarem e os envolva em importantes decisões para que se sintam significativos. Finalmente, conceda a eles recompensas pelo seu bom trabalho.

 

PASSO 7 – NÃO ESQUEÇA DE COMEMORAR

Demonstre reconhecimento e dê recompensas. Não, o salário não é a recompensa, nem a comissão combinada na contratação. Para ter um funcionário engajado, é importante que eles saibam que seus esforços serão reconhecidos e recompensados. Elogios são fundamentais. Eles podem e devem fazer parte do cronograma! Isso mesmo, do seu cronograma de trabalho como gestor. Separe boas características de cada funcionário, leve-o à parte e o elogie pelo bom trabalho, de forma sincera e real. Mesmo que ele não esteja se saindo bem em outra responsabilidade, sempre, sempre, tire tempo para elogiar seus funcionários. Se houverem muitos, delegue o trabalho para os líderes de mais importância da empresa. Forneça incentivos melhorem o seu rendimento, entregue na medida do possível, melhores ferramentas e prove que se interessa por custear totalmente ou parte de um treinamento que ele deseja fazer que trará benefícios à empresa. Celebre todas as conquistas, elogiando a todos os envolvidos, de preferência, individualmente.

Não estamos falando de aumentar o salário, ou pagar comissões, mas fornecer incentivos reais para o desempenho extra que foi entregue ou que você quer que seja entregue. Além dos prêmios fixados na GAMEFICAÇÃO, surpresas sempre são bem-vindas. O importante é gerar sempre um grande sentimento de gratidão que vai motivar a equipe a ter sempre um melhor desempenho.