18/12/2019 13:46:25

O que é plano de contas?

Todo gestor de empresa – ou empreendedor – sabe a importância de possuir informações, quanto mais sólidas e corretas elas forem mais relevantes serão para a sua organização. Devido a isso muitas estratégias e meios de coletas de informação foram criados e um desses meios é o plano de contas.


O que é o Plano de Contas?

Para aquele que não possui muita experiência no ramo ou está se atualizando devemos então informar que o Plano de Contas nada mais é do que um instrumento de controle econômico e financeiro, sua principal função é analisar de forma detalhada todo o patrimônio de uma empresa.

Na prática o Plano de Contas é um conjunto de contas que irão representar os movimentos financeiros de sua empresa durante as suas atividades e operações, então por meio dele você saberá os Ativos, os Passivos, as Receitas e as Despesas da empresa. Apenas tome cuidado por que Plano de contas não é um relatório.

É uma ferramenta utilizada, normalmente, pela área contábil da empresa e também pelo gestor, seja para analisar o orçamento da organização, ou para uma elaboração de um novo projeto ou a implantação de alguma meta.

Isso por que as informações coletadas vão servir especificamente para clarear todas as receitas de sua empresa, de forma que será muito mais fácil o  companhamento mês a mês e ainda planejar os novos projetos de sua empresa.


Como montar o Plano de Contas

Para aquele que quer montar o próprio Plano de Contas vale a pena entender que não vai existir uma receita universal para essa estrutura, porém ele, de forma geral, sempre é dividido em quatro grandes grupos: Ativo, Passivo, Receitas e Despesas. Sendo importante informar que os dois primeiros grupos – Ativo e Passivo - são relativos às contas patrimoniais da empresa, e os outros dois – Receitas e Despesas - estão relacionados às contas de resultado da empresa.
Ainda é necessário acrescentar que cada um desses grupos possuem subdivisões, ou seja, pode haver, por exemplo, dentro do grupo Ativo: os ativos circulantes e os ativos não circulantes. Em alguns casos, como a própria subdivisão do grupo de Ativos, é estabelecida por lei. Enquanto as demais podem ser ir variando de acordo com o setor de atuação de sua empresa. Mas é indispensável que em seu Plano de Contas possua essas quatro divisões.


Iremos mostrar a seguir um simples exemplo de como será feito essas divisões:

1 - ATIVO
1.1 ATIVO CIRCULANTE
1.1.1 Disponível
1.1.1.1 Caixa
1.1.1.2 Banco Conta Movimento
1.1.2 Realizações
1.1.2.1 Clientes
1.1.2.2 Aplicações financeiras
1.1.3 Estoques
1.1.3.1 Mercadorias para revenda
1.1.3.2 Produtos acabados
1.1.3.3 Insumos
1.1.3.4 Outros

1.2 ATIVO NÃO CIRCULANTE
1.2.1 Realizável a longo prazo
1.2.1.1 Títulos a receber
1.2.2 Investimentos
1.2.2.1 Participações societárias
1.2.2.2 Imóveis para renda
1.2.3 Imobilizado
1.2.3.1 Imóveis
1.2.3.2 Instalações
1.2.3.3 Máquinas e equipamentos
1.2.3.4 Veículos
1.2.3.5 (-) Depreciação acumulada
1.2.4 Intangível
1.2.4.1 Marcas e patentes
1.2.4.2 Softwares
1.2.4.3 (-) Amortização acumulada

2 - PASSIVO
2.1. CIRCULANTE
2.1.1 Impostos e contribuições a recolher
2.1.1.1 Simples a recolher
2.1.1.2 INSS
2.1.1.3 FGTS
2.1.2 Contas a pagar
2.1.2.1 Fornecedores
2.1.2.2 Outras contas
2.1.3 Empréstimos bancários
2.1.3.1 Banco A
2.1.3.2 Banco B
2.1.1 Obrigações
2.1.1.1 Fornecedores
2.1.1.2 Aluguéis a pagar
2.1.1.3 Empréstimos a pagar
2.1.1.4 ICMS a recolher
2.1.1.5 INSS a recolher
2.1.1.6 Salários a pagar
2.1.1.7 Outras obrigações a pagar

2.2 NÃO CIRCULANTE
2.2.1 Obrigações
2.2.1.1 Empréstimos bancários

2.3 PATRIMÔNIO LÍQUIDO
2.3.1 Capital
2.3.2. Reservas
2.3.2.1 Reservas de capital
2.3.2.2 Reservas de lucros
2.3.3 Prejuízos acumulados
2.3.3.1 Prejuízos acumulados de exercícios anteriores
2.3.3.2 Prejuízos do exercício atual

3 - CUSTOS E DESPESAS
3.1 CUSTOS OPERACIONAIS
3.1.1 Custo dos produtos vendidos
3.1.1.1 Materiais
3.1.1.2 Mão de obra
3.1.1.3 Encargos sociais
3.1.2 Custo dos serviços prestados
3.1.2.1 Combustível
3.1.2.2 Mão de obra
3.1.2.3 Encargos sociais

3.2 DESPESAS OPERACIONAIS
3.2.1 Despesas administrativas
3.2.1.1 Aluguel
3.2.1.2 Energia elétrica
3.2.1.3 Água
3.2.1.4 Correios
3.2.1.5 Salários
3.2.1.6 Décimo terceiro salário
3.2.1.7 Encargos sociais
3.2.1.8 Férias
3.2.2 Despesas financeiras
3.2.2.1 Descontos concedidos
3.2.2.2 Juros passivos
3.2.2.3 Despesas bancárias
3.2.3 Despesas tributárias
3.2.3.1 IPTU
3.2.3.2 ICMS
3.2.3.3 IRPJ

3.3 DESPESAS NÃO OPERACIONAIS
3.3.1 Perdas de capital
3.3.1.1 Custo da alienação do ativo permanente

4 - RECEITAS
4.1 RECEITAS OPERACIONAIS
4.1.1 Receitas financeiras
4.1.1.1 Descontos obtidos
4.1.1.2 Juros ativos
4.1.1.3 Rendimentos de aplicações financeiras

4.2 RECEITAS NÃO OPERACIONAIS
4.2.1. Lucros venda imobilizado

4.3 RECEITA BRUTA
4.3.1 Vendas de mercadorias
4.3.1.1 Vendas à vista
4.3.1.2 Vendas a prazo

Detalhes importantes sobre o Plano de contas

Após nosso exemplo ainda é importante explicar alguns detalhes sobre o Plano de Contas, por exemplo, a categoria Ativo vai representar a parte mais positiva de seu patrimônio, indo desde os investimentos até as aplicações de recursos. Em relação ao Ativo Circulante e ao Ativo não Circulante podemos dizer que o Circulante vai sinalizar os bens dentro de um prazo inferior ao ciclo operacional da empresa ou que ultrapasse os doze meses após a data do balanço, enquanto o ativo não circulante vai sinalizar os bens dentro de um prazo superior ao ciclo operacional. Na categoria do Passivo teremos três tipos, o Passivo Circulante, Passivo não Circulante e o Patrimônio Líquido.

O que precisa ser entendido aqui é que essa parte vai representar a fonte de financiamentos e origens dos seus recursos, de uma forma geral, contas que devem ser pagas. Atenção especial para o Patrimônio Líquido, que representam os capitais próprios que seus sócios, investidores e acionistas naquele momento.

A categoria das Despesas vai entrar todo o gasto que foi utilizado para a manutenção da empresa, seja comprar mais produtos para reabastecer o estoque, podendo ainda entrar operações administrativas e financeiras.

Em relação as Receitas podemos dizer que será relativo a todo valor obtido decorrente a venda de seu produto, de uma forma geral, o que foi acrescentado na conta da empresa graças a venda dos seus produtos ou serviços. É importante acrescentar que alguns contadores acabam acrescentando uma quinta nova categoria, os Custos. Que ele tem como função representar o valor gasto durante a produção, comercialização ou prestação de serviços.

Ainda informando que o clico operacional nada mais é do que o período da compra da matéria-prima, a transformação da mesma em produto, a comercialização do produto e o devido recebimento do dinheiro.