O que é capital de giro de uma empresa?


Quando decidimos abrir uma empresa devemos ter a consciência que o empreendimento necessitará de recursos para se manter, principalmente, enquanto o projeto não gerar retorno. Mas afinal, o que é capital de giro?




A abertura de um empreendimento envolve diferentes etapas como o processo de formalização, aquisição de ativos e equipamentos, além de obter a documentação jurídica e fiscal para o funcionamento da empresa.

Porém, muitos empreendedores e gestores cometem sérios erros quando negligenciam a formação e administração do capital que fará parte do porte de funcionamento do empreendimento como um todo, o que poderá comprometer a saúde financeira da empresa a curto e médio prazo.
Para evitar que a empresa corra riscos operacionais e produtivos, apresentaremos neste artigo, o conceito fundamental deste tipo de capital e sua verdadeira importância para o seu empreendimento e, desta forma, aumentar os seus lucros consideravelmente.
 

O que é capital de giro?


Esse capital é referente a uma determinada quantidade de dinheiro necessária para manter a empresa e garantir o seu funcionamento. Abrange os valores existentes no caixa, nas contas bancárias da empresa, contas para receber e demais obrigações financeiras.
Não apenas saber o que é capital de giro é importante, mas também saber calcular esse tipo de capital ajuda na determinação de valores reais e que estarão disponíveis para a corporação utilizar para cumprir os seus deveres, manter o funcionamento produtivo e investir em novos projetos.

Quando a empresa o mantém, garante também a saúde financeira do negócio, viabiliza a gestão e mantém a empresa sempre fortalecida para a aquisição de novos equipamentos, realizar parcerias e investir na inovação.
 

Conceito prático


Ao considerarmos um conceito prático para determinar esse tipo de capital, podemos considerá-lo como um conjunto de recursos financeiros que a empresa possui para cobrir custos operacionais, manter o funcionamento das áreas produtivas e manter os níveis e investimentos presentes e futuros.


É um tipo de capital que circula entre as principais atividades da corporação, que se faz presente no caixa, no investimento de alta liquidez, nas contas das empresas e que precisa estar disponível para garantir o pagamento de salários, tributos, insumos de produção, renovação de estoque, pagamento da energia elétrica, aluguel e entre outros compromissos.
No dia a dia operacional, a empresa pode e deve ter outros tipos de recursos financeiros como linhas de investimentos, imóveis, títulos, veículos e entre outros.

 

Tipos de capitais


Na prática organizacional existem diferentes tipos de capital de giro que podem ser considerados pela gestão da empresa veja a seguir:
 
Líquido - O capital líquido abrange os recursos financeiros da corporação, sem incluir os recursos financeiros circulantes que não dependem da liquidez. Esse tipo de capital pode se fazer presente em bens e imóveis.
 
Negativo - O capital negativo é referente à quantidade de dinheiro que é insuficiente para garantir que a empresa cumpra com os seus deveres e possa pagar dívidas e demais compromissos.
 
Próprio - Ao ter um capital próprio, a empresa não precisa recorrer a empréstimos ou locação de recursos de terceiros para viabilizar a abertura de um novo empreendimento ou dar continuidade ao projeto.
 
Capital atrelado a investimentos - Ao ter um capital associado a investimentos, a empresa terá valores financeiros para a cobertura de despesas geradas quando a empresa tiver que realizar investimentos focados em um determinado projeto como, por exemplo, acessar um financiamento para a compra de novos equipamentos.
 

O cálculo


O setor de gestão da empresa precisa saber calcular o verdadeiro valor do capital de giro que está disponível da empresa. É fundamental que a empresa saiba planejar e calcular para determinar o seu valor, mesmo verificando que não há regras padronizadas para definir o montante ideal de um capital.

O primeiro passo visa determinar qual é o valor necessário que a empresa precisa para conseguir quitar algumas despesas mensais. Neste caso, a empresa deverá somar todas as contas a receber e o calcular o valor disponível em estoque.
Posteriormente, o gestor deverá subtrair do resultado os valores referentes às contas a pagar e valor de impostos e despesas. Ao obter o resultado, multiplique o por seis para garantir o capital necessário para um semestre completo.

Devemos ressaltar que as condições e montantes ideais poderão variar de empresa para empresa compreendendo a disponibilidade de cada corporação e o projeto a ser realizado.
Os gestores mais experientes aconselham manter esse capital o mais alto possível para evitar perdas futuras no orçamento da empresa.
 

Como mantê-lo?


Depois que o gestor consegue calcular o valor necessário para os primeiros meses de manutenção da empresa e de fato levantar todos os recursos, a corporação poderá tomar novas medidas para tornar esse capital controlado e disponível.

Um dos primeiros pontos é manter os controle dos custos e despesas como forma de manter um controle financeiro detalhado, procurar saber negociar prazos de pagamentos com fornecedores e sempre optar por receber pagamentos de forma antecipada.

Outro fator importante para a gestão da empresa é evitar pegar empréstimos e linhas de financiamento, de forma para não sobrecarregar os recursos internos da empresa. Em muitos casos é mais adequado procurar por investidores e parceiros que possam investir em novos negócios com a empresa do que procurar por empréstimos de forma descontrolada.
 

Como adquirí-lo?


Como falamos anteriormente, o ideal é calcular o valor estimado para os primeiros seis meses de vida da empresa ou de seu novo projeto.





Porém adquirir o capital de giro é um dos grandes desafios para qualquer negócio, seja grande ou pequeno, o valor inicial poderá ser superior a R$ 30.000,00 reais ou superior aos milhões de reais, dependendo do porte da empresa e do seu peso operacional.
Não ter esse tipo de capital deixará a empresa sempre vulnerável. É fundamental ter esse capital das seguintes formas:
  • Obter financiamento para a abertura do negócio;
  • Obter recurso financeiro com a venda de ativos de pessoa jurídica ou física como a venda de um automóvel, terreno e equipamentos de um negócio anterior, por exemplo;
  • Realizando repasse de economias pessoais para investir na abertura de uma empresa;
  • Formar grupo de sócios ou de investidores diretos com interesse comum;
  • Negociar contas a pagar;
  • Vender ativos pertencentes à empresa.
 

Conclusão


Portanto, ter e saber o que é capital e acima de tudo administrá-lo é de grande importância para sua empresa, sendo fundamental não desviar essa soma de dinheiro para outras atividades que não sejam de real interesse para a corporação.

Se você precisa de um sistema completo que ajuda a controlar e gerir corretamente seu capital de giro, conheça agora o Actana, o melhor sistema de gestão para pequenas e médias empresas que vai revolucionar seu negócio!




  Postado em: 13/01/2022 10:02:38